• 3 é Par

4 Passos para desenvolver o Voluntariado na sua organização

O tema Voluntariado tem ganhado cada vez mais espaço nas corporações, configurando uma nova realidade no que diz respeito à atuação social das organizações. Além dos ganhos sociais e de mercado, iniciativas de voluntariado também geram benefícios internos para a organização.


Segundo o Relatório Voluntariado Corporativo da United Way (2003), realizado em parceria com a The London School of Economics and Political Science e The University of Georgia, quanto mais os voluntários atuam nas ações sociais empresariais, maior a satisfação com o ambiente organizacional. A pesquisa, que envolveu 52 empresas e 237 funcionários na Austrália, Brasil, Canadá, Índia e Estados Unidos, demonstra que a satisfação com o trabalho aumenta em 6% para os funcionários que participam do programa de voluntariado, o comprometimento com a empresa passa a ser 5% mais alto e a intenção de voluntariar no próximo ano é 68% mais alta.


Em estudo mais recente realizado no Brasil, em 2017, pela consultoria Santo Caos, 62% dos entrevistados consideram o voluntariado um diferencial considerável na escolha de um emprego. Na perspectiva das empresas, 89% dos gestores consideram que o voluntariado contribui para o desenvolvimento profissional das pessoas, o que remete à valorização desses perfis e, consequentemente, ganhos para a organização.


Dados como esses e outros tantos existentes, reconhecem as vantagens consideráveis na implementação de programas de voluntariado, especialmente no que diz respeito ao engajamento interno e desenvolvimento humano, elementos-chave para que as empresas possam promover inovação, mudança organizacional e responsabilidade social. Mas, para o desenvolvimento e realização de um programa de voluntariado de sucesso, que venha a agregar resultados tão expressivos, é fundamental um bom planejamento na estruturação e comunicação do programa.


Nesse sentido, alguns passos são fundamentais!


1. Realize um diagnóstico: a realização de um diagnóstico tem papel fundamental na identificação de questões chave para a estruturação do programa, como o mapeamento das necessidades da comunidade do entorno, a identificação dos diferentes perfis dos colaboradores e, inclusive, as motivações da organização.


2. Identifique parceiros estratégicos: como já falamos por aqui, seja em empresas ou organizações sociais, o estabelecimento de boas parcerias em projetos socioambientais é um caminho sem erro. Em programas de voluntariado não é diferente! A identificação de organizações com potencial de se tornarem parceiras pode trazer ganhos significativos ao programa, seja na otimização de recursos, no fortalecimento das iniciativas e conquista de melhores resultados.


3. Realize formações na organização: desde a sensibilização dos gestores até a mobilização e treinamento dos colaboradores interessados a se voluntariar. As formações são determinantes para o bom andamento do programa, pois estimulam a participação e compreensão destes públicos para uma atuação ética e segura.


4. Comunique! A comunicação planejada estimula a participação, seguindo quatro funções: difundir informações, promover a coletivização, registrar a memória do movimento e fornecer elementos de identificação com a causa e com o projeto em si.


E você já deu o primeiro passo? Compartilhe com a gente como está sendo a experiência!


Se ainda não, aproveite o mês do Voluntariado e vamos dar o primeiro passo! Nós podemos te ajudar!


Quer conversar mais sobre esste tema? Clique aqui e fale conosco!


Confira outros conteúdos em nossa página nas redes sociais! Siga:


Facebook: @3eparconsultoria

Instagram: @3eparconsultoria

LinkedIn: @3eparconsultoria

39 visualizações